Informação sobre apnéia, causas, sintomas e tratamento da apnéia do sono, identificando o diagnóstico de apnéia do sono obstrutiva e central, com dicas que permitam a cada pessoa identificar este problema de modo a tomar medidas adequadas.


quinta-feira, 3 de julho de 2014

Conhecendo a apnéia do sono

Apnéia obstrutiva do sono é um distúrbio relativamente comum, que afeta pessoas de todas as idades, mas é mais prevalente entre pessoas de meia-idade e idosos. Os indivíduos afetados experimentam colapso repetido e obstrução das vias aéreas superiores durante o sono, o que resulta em fluxo de ar reduzido (hipopnéia) ou cessação do fluxo de ar completa (apnéia), dessaturação de oxigênio e despertares do sono. Desfechos clínicos adversos associados com apnéia obstrutiva do sono incluem, doença cardiovascular, hipertensão, diabetes não dependentes de insulina, e probabilidade aumentada de acidentes de carro ou outros devido à sonolência diurna excessiva.
Estudos estimam a prevalência de apnéia obstrutiva do sono em aproximadamente 10 a 20 por cento dos adultos de meia-idade e mais velhos. As evidências também indicam que essas taxas estão subindo, provavelmente devido ao aumento das taxas de obesidade. Com base na considerável mortalidade e morbidade, associada a apnéia obstrutiva do sono e suas comorbidades concomitantes, apnéia do sono é uma importante questão de saúde pública. Para complicar o diagnóstico e tratamento, existe um grande grau de incerteza clínica em relação à condição, em grande parte devido a inconsistências na sua definição. Debate em curso envolve o tipo e nível de anormalidade respiratória que deve ser utilizado para definir a doença, bem como qual o método de diagnóstico mais adequado para a sua deteção. Além disso, não há nível atual limite estabelecido para o índice de apneia-hipopneia, que indique a necessidade de tratamento. 
Por consenso, as pessoas com relativamente poucos eventos de  apnéia ou hipopnéia por hora (geralmente entre 5 a 15) não são formalmente diagnosticadas com apnéia do sono. Igualmente preocupante são as altas taxas de complicações peri-operatórias e pós-operatórias entre os pacientes com apnéia obstrutiva do sono, assim como o número de indivíduos assintomáticos e sintomáticos que permanecem sem diagnóstico e sem tratamento. Três categorias principais de resultados de interesse em pesquisa comparativa da eficácia são os resultados clínicos ou de saúde (ou seja, eventos ou condições que o paciente possa sentir, como a deficiência ou a qualidade de vida ou morte), os resultados intermediários ou substitutos (tais como medidas de laboratório), e eventos adversos. Resultados clínicos objetivos são relevantes para pacientes com apnéia do sono e devem incluir comorbidades encontradas para serem associadas com a apnéia do sono não tratada, como a doença cardiovascular (incluindo insuficiência cardíaca congestiva, hipertensão, acidente vascular cerebral e enfarte do miocárdio) e diabetes não dependentes de insulina. Além disso, a mortalidade por doenças cardiovasculares, diabetes, acidentes de viação, e outras causas representam resultados adversos importantes da apnéia obstrutiva do sono. Resultados intermediários de interesse no manejo de pacientes incluem medidas de estudo do sono, pressão arterial (um resultado intermediário para doença cardiovascular), e hemoglobina A1c (uma medida de controle de diabetes mellitus). Todas as intervenções têm potencial para eventos adversos. Portanto, é importante reunir informações sobre os benefícios e danos das intervenções, a fim de avaliar plenamente os benefícios comparativos. A conformidade da pressão positiva contínua nas vias aéreas e outros dispositivos é uma questão importante relacionada com o tratamento eficaz da apnéia obstrutiva do sono. As intervenções que têm melhor aderência ou cujo cumprimento possa melhorar a apnéia são claramente interessantes. Também relevante é o estabelecimento de normas e medidas que identifiquem mais claramente pacientes com apnéia sintomática ou assintomática. Tais normas serviriam para reduzir morbidades relacionadas com a apnéia, assim como reduzir os custos de saúde associados. Estudos descobriram que antes do diagnóstico, os pacientes com apnéia obstrutiva do sono têm maiores taxas de utilização de cuidados de saúde, internações hospitalares mais frequentes e mais longas, e maiores custos de cuidados de saúde, quando comparados com o período que ocorre após o diagnóstico.

Índice dos artigos relativos a Apnéia do Sono
POSTAGENS POPULARES

ACOMPANHE OS ARTIGOS DO BLOG NO SEU EMAIL